Filipe Villegas

Carteiras Recomendadas > Carteiras Recomendadas > Carteira Recomendada > ūüáßūüá∑ Sele√ß√£o Genial ‚Äď Fevereiro 2024

Publicado em 16 de Fevereiro às 07:30:00

ūüáßūüá∑ Sele√ß√£o Genial ‚Äď Fevereiro 2024

Acompanhe o conte√ļdo e veja as melhores a√ß√Ķes para investir com foco em retorno em fevereiro de 2024

Resumo

A Sele√ß√£o Genial √© uma iniciativa do Genial Analisa com o prop√≥sito de otimizar a comunica√ß√£o e oferecer um acompanhamento mais detalhado dos resultados desde novembro de 2022. Inspirada na quantidade de jogadores de um time de futebol, a carteira √© composta por 11 ativos escolhidos com o objetivo de superar a performance do Ibovespa a longo prazo. A partir de fevereiro deste ano, ser√° disponibilizada uma atualiza√ß√£o mensal dos resultados, sempre na sexta-feira mais pr√≥xima do dia 15 de cada m√™s. Para este m√™s espec√≠fico, o Genial Analisa planeja realizar duas substitui√ß√Ķes na carteira, que ser√£o efetuadas pela mesa de opera√ß√Ķes no dia 16/2, destinadas aos investidores que acompanham e se baseiam na carteira recomendada. Esta abordagem busca n√£o apenas a valoriza√ß√£o dos ativos selecionados, mas tamb√©m o alinhamento estrat√©gico com as tend√™ncias de mercado e os objetivos de investimento dos assinantes.

Performance até 15/fevereiro

Cen√°rio Macro

O cen√°rio econ√īmico para 2024 apresenta uma mistura de otimismo e cautela, refletindo tanto as perspectivas internacionais quanto os desafios dom√©sticos. No cen√°rio global, apesar de um ambiente geralmente favor√°vel, marcado pela expectativa de redu√ß√£o nas taxas de juros e um crescimento robusto da economia americana, existem preocupa√ß√Ķes pontuais que merecem aten√ß√£o. A Europa enfrenta a estagfla√ß√£o, uma combina√ß√£o desafiadora de estagna√ß√£o econ√īmica e infla√ß√£o, enquanto a China experimenta uma trajet√≥ria de defla√ß√£o persistente, particularmente preocupante devido √† crise em seu mercado imobili√°rio. Estes eventos n√£o apenas afetam diretamente essas regi√Ķes, mas tamb√©m t√™m implica√ß√Ķes significativas para a economia global, impactando pa√≠ses como o Brasil, que √© um grande exportador de commodities.

Diante dessas din√Ęmicas internacionais e das caracter√≠sticas √ļnicas do cen√°rio brasileiro, torna-se crucial adotar uma abordagem equilibrada e bem-informada nas decis√Ķes econ√īmicas e de investimento. A complexidade do ambiente macroecon√īmico atual exige uma vigil√Ęncia cont√≠nua e uma avalia√ß√£o criteriosa dos poss√≠veis impactos dessas tend√™ncias globais sobre a economia local e os mercados financeiros. Este panorama sublinha a import√Ęncia de estar sempre atualizado e preparado para ajustar as estrat√©gias econ√īmicas e de investimento em resposta a um mundo em constante mudan√ßa.

BRASIL

A desacelera√ß√£o da infla√ß√£o vem sendo um fator chave que tem permitido ao Banco Central do Brasil reduzir a taxa Selic continuamente desde agosto do ano passado. Esse processo de desacelera√ß√£o √© parcialmente impulsionado pela queda nos pre√ßos de alguns bens, o que √© uma not√≠cia positiva para a economia. No entanto, √© importante manter uma postura cautelosa, especialmente devido √†s preocupa√ß√Ķes com a situa√ß√£o fiscal do pa√≠s. Em um cen√°rio menos otimista, o Banco Central pode ter que interromper os cortes na taxa Selic antes do previsto, mantendo-a em um n√≠vel mais alto do que inicialmente esperado.

No que se refere √† atividade econ√īmica, temos observado um crescimento modesto, principalmente no setor de servi√ßos. Esse crescimento √© acompanhado de sinais de recupera√ß√£o no mercado de cr√©dito, gra√ßas √† redu√ß√£o das taxas de juros. Isso tem um impacto direto na diminui√ß√£o da inadimpl√™ncia, criando um ambiente favor√°vel ao est√≠mulo ao consumo em 2024. O mercado de trabalho no Brasil tamb√©m apresenta sinais positivos, com uma redu√ß√£o significativa na taxa de desemprego e um aumento na formaliza√ß√£o dos empregos. Esses fatores juntos t√™m o potencial de sustentar o consumo por meio do aumento da renda da popula√ß√£o.

No entanto, o cen√°rio fiscal brasileiro ainda apresenta desafios significativos, com a urgente necessidade de aumentar receitas e controlar despesas. H√° uma grande probabilidade de que vejamos aumentos na carga tribut√°ria, dada a situa√ß√£o fiscal do pa√≠s. Em dezembro, foi registrado um d√©ficit consider√°vel de R$ 116,1 bilh√Ķes, evidenciando a necessidade de ajustes na pol√≠tica tribut√°ria. Isso inclui a proposi√ß√£o de medidas como a reintrodu√ß√£o da tributa√ß√£o sobre a folha de pagamentos e poss√≠veis discuss√Ķes sobre a tributa√ß√£o de dividendos e ajustes nas al√≠quotas do imposto de renda, que podem ganhar destaque nas discuss√Ķes pol√≠ticas e econ√īmicas no final de fevereiro.

Este cen√°rio complexo mostra a import√Ęncia de acompanhar de perto as pol√≠ticas econ√īmicas e fiscais, pois elas t√™m um impacto direto na vida da popula√ß√£o e no ambiente de investimentos no pa√≠s.

EUA

A evolu√ß√£o do cen√°rio econ√īmico entre o in√≠cio de janeiro e agora revela uma mudan√ßa significativa nas expectativas em torno da pol√≠tica monet√°ria do Federal Reserve (Fed) e da percep√ß√£o do mercado sobre a trajet√≥ria das taxas de juros. No come√ßo de janeiro, prevalecia um otimismo que sugeriu um poss√≠vel in√≠cio do ciclo de cortes nas taxas de juros j√° entre o final do primeiro e o in√≠cio do segundo trimestre de 2024. Este otimismo estava fundamentado na expectativa de que a economia dos Estados Unidos desaceleraria gradualmente, controlando a infla√ß√£o sem mergulhar em uma recess√£o profunda, o que, em teoria, permitiria ao Fed iniciar a redu√ß√£o das taxas de juros mais cedo, suavizando as condi√ß√Ķes monet√°rias.

Contudo, parece que o mercado pode ter sido excessivamente otimista quanto ao momento e √† magnitude dos cortes de juros pelo Fed. Os dados recentes do mercado de trabalho, incluindo a cria√ß√£o de empregos e o aumento dos sal√°rios, que superaram as expectativas, refor√ßam a ideia de que os cortes nas taxas de juros podem n√£o come√ßar em maio, como inicialmente esperado, mas sim em junho. Este ajuste nas expectativas pode ser claramente observado ao compararmos os dados impl√≠citos na curva de juros dos EUA no in√≠cio de janeiro com os do come√ßo de fevereiro. Este movimento indica um realinhamento das expectativas do mercado com a realidade econ√īmica e sinaliza a import√Ęncia de se manter atento √†s indicadores econ√īmicos para entender melhor a dire√ß√£o futura da pol√≠tica monet√°ria do Fed.

Europa e China

A Europa enfrenta um per√≠odo de estagna√ß√£o econ√īmica, com uma recupera√ß√£o ainda incerta diante de uma demanda externa fr√°gil e desafios de competitividade no setor industrial, sendo a Alemanha um caso emblem√°tico dessas dificuldades. O Banco Central Europeu (BCE) adota uma postura de precau√ß√£o, indicando que um ciclo de afrouxamento monet√°rio pode come√ßar apenas no ver√£o europeu. Essa cautela do BCE reflete a complexidade de estimular a economia sem acarretar um aumento na infla√ß√£o, um equil√≠brio delicado que exige uma gest√£o meticulosa da pol√≠tica monet√°ria.

Na China, apesar dos esfor√ßos de est√≠mulo econ√īmico come√ßarem a surtir efeito, o mercado imobili√°rio permanece como um ponto de aten√ß√£o. Medidas de apoio ao setor de habita√ß√£o social e a manuten√ß√£o dos pre√ßos do min√©rio de ferro acima das m√©dias hist√≥ricas s√£o aspectos positivos. No entanto, as proje√ß√Ķes de crescimento para 2023 e a abordagem cautelosa para 2024 sinalizam os desafios que o pa√≠s ainda enfrenta. A situa√ß√£o na China destaca a necessidade de pol√≠ticas cuidadosamente calibradas para fomentar a recupera√ß√£o econ√īmica, ao mesmo tempo que se gerenciam os riscos associados ao setor imobili√°rio e √†s expectativas de crescimento.

Trocas na Carteira

Estamos atualizando nossa carteira de investimentos com duas altera√ß√Ķes: a sa√≠da das a√ß√Ķes da Prio (PRIO3), retorno de 19,9% no per√≠odo vs IBOV 10,2% e da Porto Seguro (PSSA3), retorno de 14,3% no per√≠odo vs IBOV 10,2%, e a entrada das a√ß√Ķes da Energisa (ENGI11) e da Yduqs (YDUQ3). A decis√£o de retirar a Prio reflete nossas preocupa√ß√Ķes com o cen√°rio macroecon√īmico global, que pode afetar negativamente a demanda por petr√≥leo. Em rela√ß√£o √† Porto Seguro, antecipamos uma desacelera√ß√£o em seus resultados e consideramos seu valuation pouco atraente neste momento.

Por outro lado, a inclusão da Energisa na carteira visa proporcionar uma característica mais conservadora aos nossos investimentos. Acreditamos que a empresa oferece uma opção sólida e estável dentro do setor de energia, um setor geralmente menos volátil e com demanda constante. A entrada da Yduqs, por sua vez, está alinhada às nossas expectativas de melhoria nos resultados da companhia e ao impacto positivo que a queda da taxa Selic pode ter sobre seus negócios. Acreditamos que essas mudanças estratégicas na carteira nos posicionam melhor para navegar no atual ambiente de mercado, equilibrando entre proteção e potencial de crescimento.

#1 | √āNIMA (ANIM3)

Identificamos valor na tese de investimentos da √ānima, que se destaca por utilizar a qualidade de ensino como diferencial competitivo. Notavelmente, a √ānima foi a √ļnica empresa do setor educacional que conseguiu crescer em 2020, ano desafiador, tanto em sua base de alunos presenciais quanto no ticket m√©dio. A empresa se fortaleceu com a aquisi√ß√£o transformacional da Laureate Brasil, uma estrat√©gia que praticamente dobrou sua receita, EBITDA e base de alunos, al√©m de prometer sinergias estimadas em R$ 230 milh√Ķes por ano ao final de cinco anos.

Apesar de um balan√ßo inicialmente alavancado, a desalavancagem figura como a principal prioridade da √ānima, evidenciada pela renegocia√ß√£o de linhas de cr√©dito. Essa gest√£o financeira cuidadosa nos deixa mais otimistas com a tese de investimento no longo prazo, sinalizando um caminho promissor para a companhia diante das oportunidades e desafios do setor educacional.

#2 | ASAI (ASAI3)

Antecipamos um trimestre positivo para a companhia, com expectativas de crescimento tanto em vendas quanto em rentabilidade operacional, √† medida que as unidades inauguradas nos √ļltimos 12 meses continuam seu processo acelerado de matura√ß√£o.

Para 2024, mantemos uma perspectiva positiva para a companhia. Acreditamos que uma combina√ß√£o de melhorias no cen√°rio macroecon√īmico e a cont√≠nua matura√ß√£o de seu projeto de expans√£o, implementado nos √ļltimos anos, colocar√° o Assa√≠ em uma trajet√≥ria crescente de lucro e de redu√ß√£o da alavancagem financeira, que atualmente est√° em 4,4x, considerando a vis√£o IFRS16, incluindo receb√≠veis descontados e arrendamento.

Com o Assaí negociando a um P/E de 17,5x para 2024 e de 12,0x para 2025 (Estimativas Genial), reiteramos nossa recomendação de COMPRAR para ASAI3, com um preço-alvo de 12 meses de R$ 18,00.

#3 | ECORODOVIAS (ECOR3)

Ecorodovias j√° demonstra um in√≠cio de ano vigoroso, seguindo um quarto trimestre de 2023 com resultados de tr√°fego de ped√°gio superiores ao esperado. Em janeiro de 2024, a empresa reportou um aumento anual de +5,5% no tr√°fego compar√°vel, j√° considerando a Ecovias do Araguaia, enquanto o tr√°fego total cresceu +29% ano a ano. Esses resultados refor√ßam a perspectiva de que a Ecorodovias est√° posicionada para uma revis√£o positiva dos lucros e uma reavalia√ß√£o m√ļltipla.

O Governo de São Paulo autorizou a Ecorodovias a realizar estudos e projetos necessários para a futura expansão da capacidade do Sistema Anchieta-Imigrantes. A empresa será responsável pelos custos relacionados à produção de todos os estudos preliminares e à elaboração do projeto funcional e executivo. Foi estabelecido um prazo de 24 meses para a conclusão, com possibilidade de prorrogação por mais 12 meses.

Esta autorização destaca o compromisso da Ecorodovias com a melhoria contínua de sua infraestrutura e capacidade operacional, prometendo contribuir significativamente para o crescimento sustentado da companhia e o valor agregado aos seus acionistas no longo prazo.

#4 | ELETROBRAS (ELET3)

Nossa expectativa segue positiva quanto a melhora no setor de gera√ß√£o, com aumentos no pre√ßo de contrato de energia de longo prazo, possibilitando √†s empresas se recontratarem √† pre√ßos mais atrativos. O mesmo √© v√°lido para os pre√ßos spot, que apresentaram uma leve alta no √ļltimo trimestre, devido ao El Ni√Īo e as secas no norte do pa√≠s, possibilitando melhores vendas de energia excedentes no trimestre.

Ap√≥s nova apari√ß√£o no notici√°rio pol√≠tico mais calmo, durante o m√™s de janeiro, a empresa realizou a incorpora√ß√£o de Furnas ‚Äď o que julgamos positivo tendo em vista a redu√ß√£o de custos operacionais, apropria√ß√£o de cr√©dito tribut√°rios e simplifica√ß√£o da estrutura societ√°ria. Ainda assim, achamos que o grande gatilho para empresa diz respeito a decis√£o relacionada ao direito de voto da empresa, que deve ser decidida via STF.

Enxergamos as a√ß√Ķes de ELET3, negociando com a maior uma TIR real do setor de gera√ß√£o/transmiss√£o, de 13,5% e um dividend yield projetado para 2024 de 5%.

#5 | ENERGISA (ENGI11)

A Energisa est√° sendo negociada com uma TIR atraente de 11,5%, refletindo uma perspectiva positiva para a companhia. No segundo trimestre de 2023, o segmento de distribui√ß√£o reportou um EBITDA ajustado de R$ 1,31 bilh√£o, alinhado √†s expectativas e representando um crescimento de 4% ano a ano. Esse desempenho foi impulsionado por melhores volumes de venda (+2,9% a/a), melhorias marginais nas perdas de energia (com uma redu√ß√£o de 42 bps ano a ano), destacando-se que a EMT √© a √ļnica concess√£o ainda acima de seu limite regulat√≥rio, e uma redu√ß√£o significativa na inadimpl√™ncia (-17% ano a ano para R$97 milh√Ķes).

Apesar dos riscos reduzidos associados √† divulga√ß√£o dos n√ļmeros preliminares na proposta de renova√ß√£o da concess√£o das distribuidoras, a Energisa continua sendo negociada a um n√≠vel de TIR real bastante atraente, evidenciando um potencial de valoriza√ß√£o para os investidores no longo prazo.

#6 | ITA√ö (ITUB4)

Ita√ļ segue com expectativa de mais um bom trimestre, com expans√£o de ROE, acreditamos que o aumento payout pode ajudar a sustentar o desempenho da a√ß√£o no curto prazo. O Ita√ļ deve encerrar 2023 com um lucro no meio do guidance (R$ 35,4b), para o 4T23, esperamos que o principal driver de gera√ß√£o de lucro venha do custo de cr√©dito que deve come√ßar a se estabilizar com a inadimpl√™ncia mostrando sinais positivos, enquanto as receitas seguem evoluindo. Tamb√©m esperamos um aumento relevante de dividendos no trimestre por conta uma combina√ß√£o de capital em excesso e decis√Ķes regulat√≥rias favor√°veis (limite de juros no cart√£o de cr√©dito, aumento de Basil√©ia operacional e modifica√ß√Ķes no JCP).

Para 2024, esperamos lucro crescendo acima de 10%, ROE crescente e payout de dividendo aumentando, ou seja, continuidade do desempenho do 4T23. Estimamos que a carteira de cr√©dito cres√ßa em linha com o mercado e que a receita de juros acompanhe essa evolu√ß√£o. Al√©m disso, esperamos que as receitas com tarifas apresentem uma melhora com a retomada do mercado de capitais. Estimamos que o custo de cr√©dito deve ficar est√°vel nominalmente a/a com a melhora dos indicadores de inadimpl√™ncia. Por fim, acreditamos que o Ita√ļ deve melhorar a distribui√ß√£o de lucro para 2024 (payout) devido ao capital estar em n√≠veis satisfat√≥rios e a determina√ß√£o de que a nova regula√ß√£o do BACEN ser√° implementada de forma faseada.

#7 | GRUPO SOMA (SOMA3)

O Grupo Soma iniciou sua trajet√≥ria em 2010, fruto da fus√£o das renomadas marcas de moda feminina ANIMALE & FARM, consolidando-se como l√≠der no segmento. Essa fus√£o marcou o in√≠cio de uma jornada voltada ao fortalecimento de marcas que despertam paix√£o e servem de inspira√ß√£o. Com um foco em opera√ß√£o, intelig√™ncia e planejamento, o Grupo Soma permite que suas marcas se concentrem no aspecto criativo, mantendo-se como objetos de desejo para seus diversos p√ļblicos.

A abordagem do Grupo Soma em gerenciar eficientemente v√°rias marcas, aliada √† sua exposi√ß√£o a consumidores de alta renda, confere ao grupo um poder de precifica√ß√£o superior e uma maior prote√ß√£o contra a infla√ß√£o em compara√ß√£o √† maioria de seus concorrentes. A aquisi√ß√£o da Hering, que representou 41% das vendas em 2022, abriu caminho para o Grupo Soma explorar oportunidades de otimiza√ß√£o operacional por meio de cinco iniciativas principais: reestrutura√ß√£o da √°rea de desenvolvimento de produtos, cria√ß√£o de uma nova √°rea de planejamento comercial, reestrutura√ß√£o da cadeia de suprimentos e produ√ß√£o, investimentos digitais, e inaugura√ß√Ķes de lojas.

Negociando a um valuation atraente, pr√≥ximo √† mediana do setor, e com um CAGR de 31% previsto para seu Lucro Por A√ß√£o (LPA) consolidado entre 2022-25, o Grupo Soma ainda apresenta um potencial de valoriza√ß√£o para suas a√ß√Ķes, especialmente em um contexto de cortes da taxa de juros. Este cen√°rio otimista reflete a capacidade do Grupo Soma de continuar se destacando no mercado de moda, alavancando tanto sua expertise operacional quanto seu apelo junto ao p√ļblico de alto poder aquisitivo.

#8 | TOTVS (TOTS3)

A Totvs ocupa uma posi√ß√£o de lideran√ßa no mercado de software de gest√£o no Brasil, um mercado ainda com grande potencial de crescimento e penetra√ß√£o. A empresa se beneficia de uma forte rede de distribui√ß√£o e de um portf√≥lio diversificado e flex√≠vel, que inclui solu√ß√Ķes de software, servi√ßos de tecnologia, marketing digital e servi√ßos financeiros. A aquisi√ß√£o da RD Station abre novas frentes de crescimento, enquanto a natureza recorrente das suas receitas, associada √† capacidade de aumentar pre√ßos, oferece uma base s√≥lida para a sustentabilidade dos lucros.

A Totvs tamb√©m possui um balan√ßo patrimonial robusto, o que facilita a realiza√ß√£o de novas aquisi√ß√Ķes, apoiando sua estrat√©gia de crescimento e diversifica√ß√£o. Contudo, investir em TOTS3 implica em considerar os riscos inerentes:

  • A concorr√™ncia de grandes players internacionais √© um desafio constante, com empresas globais oferecendo solu√ß√Ķes competitivas que podem impactar a participa√ß√£o de mercado da Totvs.
  • A obsolesc√™ncia de software √© um risco para qualquer empresa de tecnologia, exigindo investimentos cont√≠nuos em inova√ß√£o e atualiza√ß√£o de produtos.
  • Os riscos de execu√ß√£o relacionados √† estrat√©gia de fus√Ķes e aquisi√ß√Ķes (M&A) podem afetar o sucesso dessas opera√ß√Ķes, impactando a integra√ß√£o das empresas adquiridas e a realiza√ß√£o dos benef√≠cios esperados.
  • A depend√™ncia macroecon√īmica √© um fator cr√≠tico, especialmente em um pa√≠s como o Brasil, onde flutua√ß√Ķes econ√īmicas podem afetar diretamente o investimento das empresas em solu√ß√Ķes de TI.

#9 | VAMOS (VAMO3)

Controlada pela holding SIMPAR, o Grupo Vamos destaca-se como l√≠der no mercado brasileiro de loca√ß√£o de m√°quinas e equipamentos, com mais de duas d√©cadas de atua√ß√£o sob a √©gide da JSL S.A. O grupo gerencia um portf√≥lio impressionante com mais de 15 mil ativos alugados e mant√©m uma extensa rede de 43 lojas espalhadas por 9 estados. Esta rede inclui 15 concession√°rias de caminh√Ķes e √īnibus Volkswagen/Man, 16 concession√°rias de m√°quinas e equipamentos agr√≠colas Valtra, al√©m de 3 lojas de empilhadeiras Toyota, 3 lojas Komatsu e 6 lojas Fendt; complementada por uma rede de mais de 2600 oficinas credenciadas respons√°veis pela manuten√ß√£o dos ativos alugados.

O Grupo Vamos atua em três segmentos principais: Vamos Locação, dedicado à locação de veículos e equipamentos; Vamos Concessionárias, que oferece uma linha completa de veículos e maquinário através de suas concessionárias; e Vamos Seminovos, focado na venda de veículos e equipamentos usados.

A nossa recomenda√ß√£o de compra para as a√ß√Ķes do Vamos (VAMO3) se fundamenta na cren√ßa de que a empresa opera em um “oceano azul”, caracterizado por uma competi√ß√£o limitada e um vasto potencial de mercado √† frente. A Vamos destaca-se por sua escala operacional superior, que n√£o s√≥ fortalece sua posi√ß√£o competitiva como tamb√©m eleva as barreiras de entrada para novos competidores no setor. A determina√ß√£o do pre√ßo-alvo para as a√ß√Ķes foi realizada por meio de uma an√°lise de fluxo de caixa descontado (DCF) com horizonte de 10 anos, refletindo nossa confian√ßa no crescimento sustentado e na expans√£o cont√≠nua da vantagem competitiva do Grupo Vamos.

#10 | WEG (WEGE3)

A WEG S.A. é reconhecida globalmente como uma das principais fabricantes de equipamentos elétricos, abrangendo uma vasta gama de produtos como comando e proteção, variação de velocidade, automação de processos industriais, além de geração e distribuição de energia e tintas industriais. Sua atuação multinacional solidifica sua presença como uma força inovadora no mercado global.

Nossa an√°lise positiva sobre a WEG fundamenta-se em diversos pilares: (i) a transi√ß√£o energ√©tica global, que representa um campo f√©rtil para a inova√ß√£o e crescimento da empresa; (ii) a retomada gradual dos investimentos na ind√ļstria brasileira; (iii) a resili√™ncia da empresa diante de um cen√°rio global de recess√£o, e (iv) a expans√£o cont√≠nua e assertiva da empresa por meio de aquisi√ß√Ķes estrat√©gicas, que t√™m resultado em ganhos significativos de participa√ß√£o de mercado.

Apesar do desafio constante na luta por participa√ß√£o de mercado, dado o setor competitivo e a presen√ßa de grandes concorrentes, acreditamos que a WEG est√° bem posicionada para se beneficiar de certas condi√ß√Ķes atuais. Especificamente, a press√£o sobre os custos de energia na Europa e os altos custos de m√£o-de-obra nos EUA podem favorecer a WEG, gra√ßas √† sua verticaliza√ß√£o e √† localiza√ß√£o estrat√©gica de suas f√°bricas no Brasil.

Reconhecemos que os m√ļltiplos da empresa indicam uma avalia√ß√£o esticada, sugerindo expectativas de crescimento acelerado. No entanto, em um momento marcado por incertezas globais e a perspectiva de fortalecimento do d√≥lar em rela√ß√£o ao real, juntamente com uma agenda positiva de investimentos no Brasil para 2023/2024, a WEG se destaca como uma op√ß√£o defensiva promissora. A companhia n√£o s√≥ demonstra solidez em seus fundamentos como tamb√©m possui potencial para aproveitar oportunidades de expans√£o e inova√ß√£o frente √†s tend√™ncias globais e locais.

#11 | YDUQS (YDUQ3)

A YDUQS (YDUQ3), uma holding de capital aberto focada no ensino superior, figura como uma das maiores empresas educacionais do Brasil, tanto em n√ļmero de alunos quanto em valor de mercado. Origin√°ria do Rio de Janeiro e fundada em 1970, a YDUQS se destaca por sua ampla oferta de cursos de gradua√ß√£o, p√≥s-gradua√ß√£o, educa√ß√£o a dist√Ęncia (EAD) e programas de extens√£o em diversas √°reas do conhecimento. A companhia prioriza cursos presenciais e semipresenciais, abrangendo setores como sa√ļde, neg√≥cios, direito, engenharia, tecnologia, entre outros, refletindo seu compromisso em promover uma educa√ß√£o de qualidade e acess√≠vel.

No portf√≥lio da YDUQS, destacam-se v√°rias institui√ß√Ķes de renome que contribuem para a sua posi√ß√£o de lideran√ßa no mercado educacional:

  • Universidade Est√°cio de S√° (UNESA): Uma das joias da coroa do grupo, a UNESA oferece uma vasta gama de cursos de gradua√ß√£o, p√≥s-gradua√ß√£o e extens√£o, atendendo a uma ampla variedade de demandas educacionais.
  • Faculdade Est√°cio: Al√©m da UNESA, a holding controla outras faculdades sob a marca Est√°cio, proporcionando educa√ß√£o presencial e a dist√Ęncia em v√°rias regi√Ķes do Brasil.
  • Faculdade IBMR: Com foco nas √°reas de neg√≥cios, comunica√ß√£o, sa√ļde e tecnologia, o IBMR √© reconhecido por sua qualidade educacional e oferta diversificada de cursos.
  • Faculdade Dam√°sio: Especializada no campo jur√≠dico, a Faculdade Dam√°sio √© uma refer√™ncia para cursos de gradua√ß√£o e p√≥s-gradua√ß√£o em Direito.

Essas institui√ß√Ķes s√£o apenas uma fra√ß√£o das entidades que comp√Ķem a YDUQS, evidenciando o esfor√ßo cont√≠nuo do grupo em expandir e diversificar seu portf√≥lio educacional. Com o objetivo de atender √†s necessidades educacionais dos estudantes brasileiros, a YDUQS permanece na vanguarda do setor, promovendo inova√ß√£o e excel√™ncia no ensino superior no Brasil.

Acesse o disclaimer.

Leitura Din√Ęmica