Filipe Villegas

Carteiras Recomendadas > Carteiras Recomendadas > Carteira Recomendada > 🧬 GENOMA AÇÕES 2.0 – Abril de 2024

Publicado em 05 de Abril às 19:00:00

🧬 GENOMA AÇÕES 2.0 – Abril de 2024

🎯 Objetivo

O Genoma Ações foi atualizado! A partir de agora temos um novo modelo de recomendações para atender completamente à demanda dos investidores de ações. Nós expandimos nossa cobertura para incluir todas as empresas do Índice Brasil Amplo (IBRA), proporcionando a você uma visão abrangente do mercado.

Nosso método aprimorado combina uma abordagem quantitativa e qualitativa, através de uma técnica conhecida como Análise de Fatores ou Factor Investing. Esta técnica nos permite criar uma lista de recomendações de ações, cada uma com um preço-alvo e um fator de ponderação associado. O objetivo é facilitar o processo de decisão e otimizar a montagem de carteiras de investimentos.

É importante destacar um aspecto crucial do nosso algoritmo do Genoma: ele foi projetado para avaliar o ciclo de fundamentos de uma empresa em conjunto com um modelo de precificação de ativos. No entanto, tais modelos não levam em consideração fatores além dos resultados das empresas e das expectativas futuras do mercado em torno de uma ação.

Lembramos que os preços e recomendações apresentados podem diferir daqueles apresentados no Genial Analisa. Este último faz suas recomendações com base na avaliação de seus analistas, portanto, são distintas e não correlacionadas com as recomendações apresentadas pelo Genoma Ações. Cada um desses trabalhos é único e oferece uma visão diferente, permitindo a você como investidor uma análise mais completa e diversificada.

☑️ Fatores de Estilo

💰 Valor (Value): O fator “valor” se refere ao investimento em ações que são consideradas baratas em relação a certos fundamentos contábeis, como o preço em relação ao lucro, o preço em relação ao valor contábil, o preço em relação às vendas, etc. Este estilo de investimento é baseado na ideia de que essas ações estão subvalorizadas e, portanto, devem proporcionar retornos superiores a longo prazo.

📈 Crescimento (Growth): O fator “crescimento” se refere ao investimento em ações de empresas que estão crescendo a uma taxa acima da média em termos de receitas, lucros, fluxo de caixa, etc. Os investidores em crescimento estão dispostos a pagar um preço premium por ações dessas empresas na expectativa de que o rápido crescimento dos lucros se traduza em retornos de ações superiores.

🚀 Momentum: O fator “momentum” se refere ao investimento em ações que têm mostrado um desempenho superior recente, na esperança de que essa tendência de desempenho continue no futuro. A ideia é que as ações que têm desempenhado bem recentemente continuarão a se sair bem, e as que têm desempenhado mal continuarão a se sair mal.

👑 Qualidade (Quality): O fator “qualidade” se refere ao investimento em ações de empresas de alta qualidade. As métricas para determinar a qualidade variam, mas geralmente incluem coisas como lucratividade, estabilidade dos lucros, eficiência operacional e solidez financeira. A ideia é que essas empresas de alta qualidade são mais propensas a gerar retornos de ações estáveis e superiores a longo prazo.

🐢 Baixo Risco (Low Vol): O fator “baixo risco” se refere ao investimento em ações que têm mostrado menor volatilidade ou risco de queda. A ideia é que essas ações de baixo risco irão, em média, superar as ações de alto risco ao longo do tempo, uma vez que as ações de alto risco estão sujeitas a maiores quedas de preço.

Esses fatores de estilo não são mutuamente exclusivos e podem ser combinados de várias maneiras para criar uma estratégia de investimento diversificada. Além disso, é importante notar que, embora esses fatores tenham proporcionado retornos superiores em média ao longo do tempo, não há garantia de que continuarão a fazê-lo no futuro.

🌎 Cenário Macroeconômico

EUA

A economia dos Estados Unidos tem demonstrado notável resiliência frente a uma política monetária rigorosa. A inflação, após atingir picos e depois diminuir consideravelmente, mostra sinais de estabilização. Nos últimos três meses, a tendência de queda da inflação estagnou, situando-se em torno de 3,7% ao ano, acima da meta de 2% estabelecida pelo Federal Reserve (Fed). Esse cenário é complementado por um mercado de trabalho forte, onde os salários continuam a crescer acima da inflação projetada. Com a economia crescendo a uma taxa de 3,4% no quarto trimestre de 2023, o futuro próximo apresenta incertezas consideráveis.

Desde agosto do ano passado, os comunicados do Fed após as reuniões do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC) destacam que as decisões serão baseadas nos dados, evidenciando uma grande indecisão. Esta falta de clareza prejudica a gestão de expectativas e a eficácia da política monetária, já que uma das principais funções de um banco central é orientar o ajuste dessas expectativas.

As expectativas quanto à política de juros nos EUA têm sido particularmente voláteis. Inicialmente, previu-se que os cortes de juros poderiam começar em março. Depois, as expectativas mudaram para maio e, mais recentemente, para junho, com alguns analistas antecipando que o início dos cortes possa ser adiado para o segundo semestre, por volta de agosto. Apesar dessa volatilidade, o gráfico de pontos dos dirigentes do Fed sinaliza 3 cortes de 0,75 ponto percentual em 2024. Essa oscilação nas expectativas, que no início do ano incluía uma previsão de redução de 1,75 ponto percentual na taxa básica de juros, ilustra a incerteza que domina as previsões econômicas atuais.

BRASIL

No Brasil, a última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) trouxe à tona uma mudança sutil, mas significativa, no comunicado do Banco Central, reflexo do aumento da incerteza global, especialmente devido à política monetária dos Estados Unidos. Ao modificar a expressão de futuros cortes de “nas próximas” para “na próxima reunião”, o Banco Central limitou seu compromisso a um corte de 0,5 ponto percentual na reunião de maio, permitindo maior flexibilidade para ajustar a política monetária conforme necessário. Projetamos o fim do ciclo de cortes em 9,5% ainda em 2024, enquanto a média do Focus é ligeiramente mais otimista, com 9,25%.

A resiliência do mercado de trabalho brasileiro diante de uma política monetária restritiva é outra fonte de preocupação para o Banco Central. A taxa de desemprego caiu para 7,8%, a mais baixa desde janeiro de 2015, e o rendimento médio real teve um aumento anual de 4,3%, com a massa de rendimento real subindo 6,7% a/a. Porém, a inflação medida pelo IPCA-15 de março ficou acima das expectativas do mercado, em 0,36% mensal, com a inflação de serviços subjacente a 0,40%, sinalizando possíveis pressões inflacionárias futuras devido à política de juros e à demanda.

Olhando para o futuro, o cenário de longo prazo para o Brasil apresenta desafios. Após um crescimento do PIB de 2,9% no ano passado, impulsionado principalmente pela agropecuária e mineração, a economia mostrou sinais de estagnação no segundo semestre. A despeito das surpresas positivas na arrecadação no início deste ano, há preocupações com o aumento dos gastos e possíveis frustrações nas arrecadações das medidas propostas pelo governo. Isso pode tornar a meta de déficit zero temporária e, juntamente com a queda no investimento, pode levar a um crescimento mais lento, aumentando a relação dívida/PIB e, por sua vez, as taxas de juros exigidas pelos investidores para financiar o país.

CHINA e EUROPA

Na Europa, a recuperação econômica mostra sinais mistos após uma fase de alta inflação e atividade econômica reduzida, exacerbada pelos altos custos de energia e o conflito na Ucrânia. A desaceleração recente da inflação e a melhoria no setor de serviços trazem um alívio cauteloso, embora persistam desafios fiscais significativos. O Banco Central Europeu (BCE) está em um momento crucial, com decisões futuras buscando equilibrar o apoio à recuperação e o controle inflacionário, em meio a incertezas sobre a estabilidade financeira.

Na China, 2024 começa com desafios continuados, mesmo com a meta de crescimento estabelecida em cerca de 5%, refletindo esforços para fortalecer a confiança doméstica face a uma crise imobiliária duradoura. Há progressos na produção industrial e investimentos em ativos fixos, especialmente em veículos elétricos e projetos estatais, sugerindo esforços para revigorar a economia. Contudo, o consumo varejista permanece cauteloso, especialmente para bens duráveis. A inflação ao consumidor mostra ligeira recuperação, contrapondo-se à intensificação da deflação nos preços ao produtor. Este panorama sublinha os desafios em alcançar um equilíbrio entre crescimento econômico e estabilidade de preços, a despeito das medidas de estímulo como cortes nas taxas de juros e ajustes nas reservas bancárias.

Ibovespa está caro ou barato?

O Ibovespa atualmente é negociado a 7,9x P/L projetado para os próximos 12 meses, o que representa um desconto de 28% em relação à sua média histórica de 11,0x. Quando excluímos Petrobras e Vale da análise, o índice é negociado a 10,3x P/L, abaixo da média de 12,2x, indicando um desconto de 16%. As ações vinculadas à economia doméstica estão sendo negociadas a 9,7x P/L, abaixo da média de 12,1x, resultando em um desconto de 19%. Já as ações de empresas exportadoras são negociadas a 6,7x P/L, significativamente abaixo da média de 10,0x, com um desconto de 34%. Por fim, as Small Caps apresentam negociação a 9,8x P/L, também abaixo da média histórica de 14,4x, representando um desconto de 32%.

🗣️ Comentário do Estrategista: no cenário atual, como investir?

Diante dos recentes desafios que têm afastado o investidor estrangeiro da bolsa brasileira, juntamente com as mudanças nas expectativas sobre a trajetória dos juros nos EUA e no Brasil, estamos recomendando uma postura mais conservadora nas escolhas de investimento. Os fatores LOWVOL (baixa volatilidade) e DYIELD (dividend yield) têm potencial para se destacar em termos de desempenho nesse cenário. Embora a bolsa brasileira esteja atrativa em termos de valuation, não aconselhamos a completa ausência em outros fatores de risco; contudo, sugerimos que as escolhas sejam feitas com cautela e que representem um menor percentual de exposição na carteira. É preferível optar por ações de baixo beta e de setores com histórico de maior resiliência, ajustando a estratégia para navegar com mais segurança diante das incertezas atuais.

📑 Tabela de Recomendações

⚠️ AVISO IMPORTANTE: Os preços-alvo e recomendações estão sujeitos a alterações com base em informações e fatos relevantes divulgados pelas empresas, assim como os resultados da temporada de balanços. O Genoma é um modelo quantitativo de precificação de ações. É importante ressaltar que este modelo não leva em consideração fatos que não estejam estritamente correlacionados com os resultados corporativos apresentados pelas empresas. Além disso, não considera outras variáveis externas, baseando-se exclusivamente nos resultados corporativos e nas expectativas da equipe do Genial Analisa e do mercado em geral. Investidores devem estar cientes de que decisões de investimento devem ser tomadas com base em uma análise abrangente, considerando diversos fatores, incluindo, mas não se limitando, ao contexto macroeconômico, condições do setor e perfil de risco individual.

👤 Perfil de Investidor

ConservadorO investidor considerado conservador é aquele que prefere não correr riscos na valorização do dinheiro que decidiu aplicar.
ModeradoO investidor moderado é aquele que aplica uma parte dos seus recursos em investimentos com maior risco com o objetivo de obter retornos financeiros acima da média no longo prazo, sem abrir mão de ter parte do seu patrimônio em investimentos mais conservadores.
Arrojado/AgressivoArrojado ou Agressivo é aquele investidor que aceita com tranquilidade os riscos de variação em seus rendimentos/retornos ou até mesmo alterações em seu capital investido inicialmente afim de ter um retorno acima da média no longo prazo.

🚦 Recomendações de Fatores de Estilo para cada Perfil de Investidor

ConservadorLOWVOL e DYIELD
ModeradoVALUE e QUALITY + (classes do conservador)
Arrojado/AgressivoGROWTH e MOMENTUM + (classes do conservador/moderado)

🔂 Recorrência

Este relatório tem a finalidade de fornecer uma atualização sobre o cenário macroeconômico e corporativo, levando em consideração os dados trimestrais recentemente divulgados pelas empresas e mudanças das expectativas do mercado. No entanto, gostaríamos de informar uma mudança importante no cronograma de publicação: a partir de fevereiro 2024, este relatório será atualizado mensalmente, na primeira na sexta-feira do mês. Vale ressaltar que esses prazos estão sujeitos a alterações. Mudanças nas condições de mercado ou no calendário de divulgação de balanços corporativos podem exigir ajustes em nossa programação.

💭 Explicando nosso quadro de recomendações (Glossário)

EMPRESANome da Empresa
TICKERCódigo Bolsa
PE (24)Múltiplo Preço/lucro que representa o número de anos necessários para se obter o valor pago pela ação por intermédio dos lucros distribuídos. Quanto menor, mais descontado o preço da ação. Expectativa para este ano, 2024.
PE (25)Múltiplo Preço/lucro que representa o número de anos necessários para se obter o valor pago pela ação por intermédio dos lucros distribuídos. Quanto menor, mais descontado o preço da ação. Expectativa para ano que vem, 2025.
PBMúltiplo P/VPA é do que preço da ação dividido pelo seu valor patrimonial. Ou seja, o valor do Patrimônio Líquido (PL) por ação. Quanto menor, mais descontado o preço da ação.
EV/EBTIDAEV/EBITDA (Valor da Empresa dividido pelo Lucro Antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização) é um múltiplo financeiro utilizado para avaliar o valor de uma empresa. Ele compara o valor total da empresa (incluindo dívida e capital próprio) ao seu lucro operacional ajustado (EBITDA).
BETAO beta de uma ação indica se ela é mais ou menos volátil do que o mercado como um todo. Quanto menor o indicador, menor deve ser a oscilação em períodos de depressão ou euforia dos mercados. Investidores mais conservadores devem buscar por ações com beta menor, por outro lado os mais agressivos devem buscar por ações com beta maior.
SETORSetor de atuação da empresa.
FATORRefere-se a uma estratégia de investimento em que as ações são escolhidos com base em atributos que estão associados a retornos superiores.
RECOMENDAÇÃORecomendação de COMPRA, MANTER ou VENDA
PREÇO-ALVOPreço-Alvo para os próximos 12 meses.
UPSIDEPotencial de retorno até o preço-alvo.
Acesse o disclaimer.

Leitura Dinâmica