Filipe Villegas

Carteiras Recomendadas > Carteiras Recomendadas > Carteira Recomendada > ūüáßūüá∑ Sele√ß√£o Genial ‚Äď Maio de 2024

Publicado em 20 de Maio às 21:00:00

ūüáßūüá∑ Sele√ß√£o Genial ‚Äď Maio de 2024

Acompanhe o conte√ļdo e veja as melhores a√ß√Ķes para investir com foco em retorno em maio de 2024

Resumo

A Seleção Genial é uma iniciativa do Genial Analisa com o propósito de otimizar a comunicação e oferecer um acompanhamento mais detalhado dos resultados desde novembro de 2022. Inspirada na quantidade de jogadores de um time de futebol, a carteira é composta por 11 ativos escolhidos com o objetivo de superar a performance do Ibovespa a longo prazo. A partir de fevereiro deste ano, será disponibilizada uma atualização mensal dos resultados, sempre na sexta-feira mais próxima do dia 15 de cada mês.

Para este m√™s espec√≠fico, o Genial Analisa planeja realizar duas substitui√ß√Ķes na carteira, que ser√£o efetuadas pela mesa de opera√ß√Ķes no dia 21/5, destinadas aos investidores que acompanham e se baseiam na carteira recomendada.

Esta abordagem busca não apenas a valorização dos ativos selecionados, mas também o alinhamento estratégico com as tendências de mercado e os objetivos de investimento dos assinantes.

Performance até 20/maio

Cen√°rio Macroecon√īmico

EUA

Apesar dos recentes al√≠vios nas tens√Ķes monet√°rias nos EUA, o cen√°rio global continua desafiador, com sinais mistos que exigem uma abordagem cautelosa. Em abril, o panorama econ√īmico global mostrou sinais de deteriora√ß√£o, com dados destacando a resili√™ncia da economia americana, mas tamb√©m evidenciando desafios persistentes no controle da infla√ß√£o. A for√ßa do mercado de trabalho americano e as revis√Ķes nas expectativas para a pol√≠tica monet√°ria t√™m gerado volatilidade nos mercados financeiros, afetando as taxas de juros e as expectativas dos investidores globalmente. O √≠ndice de contrata√ß√Ķes superou as estimativas do consenso, indicando uma press√£o cont√≠nua no mercado de trabalho e nos sal√°rios. Este cen√°rio tem complicado a tarefa dos bancos centrais, tanto do Fed quanto do Banco Central do Brasil, de moderar a infla√ß√£o sem desacelerar o crescimento econ√īmico. Essas condi√ß√Ķes refor√ßam a perspectiva de manuten√ß√£o dos atuais n√≠veis de juros por um per√≠odo prolongado, com alguns analistas especulando que cortes significativos s√≥ ocorreriam em 2025.

Ap√≥s um per√≠odo de pessimismo, a reuni√£o do Fed trouxe algum al√≠vio. As declara√ß√Ķes do presidente do Fed, Jerome Powell, e a ata da reuni√£o afastaram o risco de n√£o haver cortes de juros em 2024 e de uma retomada no ciclo de alta. O mercado reagiu positivamente, com a redu√ß√£o desses dois riscos de cauda, trazendo um certo al√≠vio para o mercado de juros.

Para consolidar essa melhora, em abril, a cria√ß√£o de empregos n√£o agr√≠colas ficou bem abaixo do consenso de mercado, refletindo em uma taxa de desemprego maior que a esperada. Esses dados, juntamente com o crescimento salarial abaixo do previsto, possibilitaram movimentos significativos de queda nos juros globais. √Č importante lembrar que as frequentes revis√Ķes retroativas nos dados de payroll requerem cautela na interpreta√ß√£o desses n√ļmeros, que ainda se mant√™m pr√≥ximos do n√≠vel necess√°rio para estabilizar a taxa de desemprego.

BRASIL

O cen√°rio econ√īmico global tem implica√ß√Ķes diretas para a pol√≠tica monet√°ria e as condi√ß√Ķes econ√īmicas no Brasil. A valoriza√ß√£o do d√≥lar, impulsionada pelas expectativas de manuten√ß√£o dos juros nos EUA, afeta a economia brasileira ao pressionar a infla√ß√£o e complicar o ciclo de afrouxamento monet√°rio planejado pelo Banco Central do Brasil. Esse contexto exige uma estrat√©gia de investimento cautelosa, considerando a volatilidade dos mercados e a incerteza sobre as pol√≠ticas monet√°rias futuras.

A robustez no mercado de trabalho brasileiro sugere um impacto potencial sobre a demanda interna, que pode resultar em press√Ķes inflacion√°rias, especialmente no IPCA de servi√ßos. O aumento nos pedidos de demiss√£o volunt√°ria indica um mercado de trabalho flex√≠vel, com trabalhadores confiantes em mudar de emprego, refletindo um ambiente favor√°vel ao consumo.

Os dados recentes do mercado de trabalho nos Estados Unidos, que mostraram um mercado ainda aquecido, solidificam nossa expectativa de que o Banco Central brasileiro continuará com a trajetória de afrouxamento monetário, mesmo diante de um cenário internacional complicado. Estamos confortáveis com essa projeção, consistentemente mantida desde fevereiro, à medida que os dados mais recentes reforçam essa percepção.

No √Ęmbito fiscal, a divulga√ß√£o recente da Lei de Diretrizes Or√ßament√°rias (LDO) para os pr√≥ximos anos sugere um relaxamento nas metas de super√°vit prim√°rio, refletindo um ajuste de 0,5% do PIB para um equil√≠brio fiscal em 2025, com revis√Ķes subsequentes para 2026 e 2027. Essa redu√ß√£o nas metas fiscais teve um impacto significativo nos mercados, questionando a credibilidade do arcabou√ßo fiscal brasileiro e levantando preocupa√ß√Ķes sobre a flexibilidade das metas fiscais em resposta a desafios econ√īmicos.

O governo brasileiro enfrenta desafios consider√°veis para aumentar as receitas atrav√©s de uma maior carga tribut√°ria, necess√°ria para cobrir aumentos de gastos j√° contratados que correspondem a aproximadamente 2% do PIB. At√© o momento, os esfor√ßos para aumentar a arrecada√ß√£o t√™m sido insuficientes, colocando press√Ķes adicionais sobre a situa√ß√£o fiscal do pa√≠s. Essas din√Ęmicas ser√£o cruciais nas discuss√Ķes no Congresso, influenciando decis√Ķes sobre programas de preserva√ß√£o do emprego e exonera√ß√Ķes fiscais para munic√≠pios e setores espec√≠ficos.

Trocas na Carteira

Estamos atualizando nossa carteira de investimentos com duas altera√ß√Ķes: a sa√≠da das a√ß√Ķes da Ecordovias (ECOR3) e Weg (WEGE3), para a entrada das a√ß√Ķes da Rede D’or (RDOR3) e Serena (SRNA3). Esses ajustes foram feitos para inclus√£o de empresas em melhor momento do ciclo operacional.

#1 | ASAI (ASAI3)

Antecipamos um trimestre positivo para a companhia, com expectativas de crescimento tanto em vendas quanto em rentabilidade operacional, √† medida que as unidades inauguradas nos √ļltimos 12 meses continuam seu processo acelerado de matura√ß√£o.

Para 2024, mantemos uma perspectiva positiva para a companhia. Acreditamos que uma combina√ß√£o de melhorias no cen√°rio macroecon√īmico e a cont√≠nua matura√ß√£o de seu projeto de expans√£o, implementado nos √ļltimos anos, colocar√° o Assa√≠ em uma trajet√≥ria crescente de lucro e de redu√ß√£o da alavancagem financeira, que atualmente est√° em 4,4x, considerando a vis√£o IFRS16, incluindo receb√≠veis descontados e arrendamento.

Com o Assaí negociando a um P/E de 17,5x para 2024 e de 12,0x para 2025 (Estimativas Genial), reiteramos nossa recomendação de COMPRAR para ASAI3, com um preço-alvo de 12 meses de R$ 18,00.

#2 | ENERGISA (ENGI11)

A Energisa est√° sendo negociada com uma TIR atraente de 11,5%, refletindo uma perspectiva positiva para a companhia. No segundo trimestre de 2023, o segmento de distribui√ß√£o reportou um EBITDA ajustado de R$ 1,31 bilh√£o, alinhado √†s expectativas e representando um crescimento de 4% ano a ano. Esse desempenho foi impulsionado por melhores volumes de venda (+2,9% a/a), melhorias marginais nas perdas de energia (com uma redu√ß√£o de 42 bps ano a ano), destacando-se que a EMT √© a √ļnica concess√£o ainda acima de seu limite regulat√≥rio, e uma redu√ß√£o significativa na inadimpl√™ncia (-17% ano a ano para R$97 milh√Ķes).

Apesar dos riscos reduzidos associados √† divulga√ß√£o dos n√ļmeros preliminares na proposta de renova√ß√£o da concess√£o das distribuidoras, a Energisa continua sendo negociada a um n√≠vel de TIR real bastante atraente, evidenciando um potencial de valoriza√ß√£o para os investidores no longo prazo.

#3 | GRUPO SOMA (SOMA3)

O Grupo Soma iniciou sua trajet√≥ria em 2010, fruto da fus√£o das renomadas marcas de moda feminina ANIMALE & FARM, consolidando-se como l√≠der no segmento. Essa fus√£o marcou o in√≠cio de uma jornada voltada ao fortalecimento de marcas que despertam paix√£o e servem de inspira√ß√£o. Com um foco em opera√ß√£o, intelig√™ncia e planejamento, o Grupo Soma permite que suas marcas se concentrem no aspecto criativo, mantendo-se como objetos de desejo para seus diversos p√ļblicos.

A abordagem do Grupo Soma em gerenciar eficientemente v√°rias marcas, aliada √† sua exposi√ß√£o a consumidores de alta renda, confere ao grupo um poder de precifica√ß√£o superior e uma maior prote√ß√£o contra a infla√ß√£o em compara√ß√£o √† maioria de seus concorrentes. A aquisi√ß√£o da Hering, que representou 41% das vendas em 2022, abriu caminho para o Grupo Soma explorar oportunidades de otimiza√ß√£o operacional por meio de cinco iniciativas principais: reestrutura√ß√£o da √°rea de desenvolvimento de produtos, cria√ß√£o de uma nova √°rea de planejamento comercial, reestrutura√ß√£o da cadeia de suprimentos e produ√ß√£o, investimentos digitais, e inaugura√ß√Ķes de lojas.

Negociando a um valuation atraente, pr√≥ximo √† mediana do setor, e com um CAGR de 31% previsto para seu Lucro Por A√ß√£o (LPA) consolidado entre 2022-25, o Grupo Soma ainda apresenta um potencial de valoriza√ß√£o para suas a√ß√Ķes, especialmente em um contexto de cortes da taxa de juros. Este cen√°rio otimista reflete a capacidade do Grupo Soma de continuar se destacando no mercado de moda, alavancando tanto sua expertise operacional quanto seu apelo junto ao p√ļblico de alto poder aquisitivo.

#4 | ITA√ö (ITUB4)

Ita√ļ segue com expectativa de mais um bom trimestre, com expans√£o de ROE, acreditamos que o aumento payout pode ajudar a sustentar o desempenho da a√ß√£o no curto prazo. O Ita√ļ deve encerrar 2023 com um lucro no meio do guidance (R$ 35,4b), para o 4T23, esperamos que o principal driver de gera√ß√£o de lucro venha do custo de cr√©dito que deve come√ßar a se estabilizar com a inadimpl√™ncia mostrando sinais positivos, enquanto as receitas seguem evoluindo. Tamb√©m esperamos um aumento relevante de dividendos no trimestre por conta uma combina√ß√£o de capital em excesso e decis√Ķes regulat√≥rias favor√°veis (limite de juros no cart√£o de cr√©dito, aumento de Basil√©ia operacional e modifica√ß√Ķes no JCP).

Para 2024, esperamos lucro crescendo acima de 10%, ROE crescente e payout de dividendo aumentando, ou seja, continuidade do desempenho do 4T23. Estimamos que a carteira de cr√©dito cres√ßa em linha com o mercado e que a receita de juros acompanhe essa evolu√ß√£o. Al√©m disso, esperamos que as receitas com tarifas apresentem uma melhora com a retomada do mercado de capitais. Estimamos que o custo de cr√©dito deve ficar est√°vel nominalmente a/a com a melhora dos indicadores de inadimpl√™ncia. Por fim, acreditamos que o Ita√ļ deve melhorar a distribui√ß√£o de lucro para 2024 (payout) devido ao capital estar em n√≠veis satisfat√≥rios e a determina√ß√£o de que a nova regula√ß√£o do BACEN ser√° implementada de forma faseada.

#5 | 3R PETROLEUM (RRRP3)

A 3R Petroleum tem adotado uma estrat√©gia astuta, adquirindo campos maduros que foram “ignorados” pela Petrobras e postos √† venda no processo de desinvestimento da estatal. Essas aquisi√ß√Ķes t√™m sido realizadas a m√ļltiplos vantajosos, uma jogada estrat√©gica que, quando combinada com a experi√™ncia da equipe de gest√£o da 3R e um hist√≥rico comprovado de revitaliza√ß√£o, como evidenciado pelo aumento de 43% na produ√ß√£o do Polo Macau desde que a 3R assumiu sua opera√ß√£o em 2020, sugere um potencial significativo de gera√ß√£o de valor nos pr√≥ximos anos.

Al√©m disso, ao contr√°rio de outras empresas do setor como a Petrorio (PRIO3), a 3R ainda possui a maior parte de seu portf√≥lio em desenvolvimento, o que significa que esse potencial ainda n√£o est√° refletido no pre√ßo atual das suas a√ß√Ķes. Portanto, acreditamos que a 3R oferece o maior potencial de valoriza√ß√£o entre as petroleiras nacionais, tornando-a uma op√ß√£o particularmente atraente para investidores no setor de energia.

#6 | REDE D’OR (RDOR3)

Para Rede D‚ÄôOr, observamos bons sinais operacionais, com uma taxa de ocupa√ß√£o no trimestre acima da m√©dia para o per√≠odo, mesmo com um maior n√ļmero de leitos operacionais. Do lado da Sul Am√©rica, o destaque positivo √© o controle de sinistralidade, com a companhia alcan√ßando 82,5% no trimestre, um patamar quase equivalente ao per√≠odo pr√©-pandemia.

A divulga√ß√£o dos resultados consolidados da companhia permite analisar separadamente cada um dos neg√≥cios, destacando as opera√ß√Ķes de elimina√ß√£o e abatimento entre as companhias do grupo, que representam cerca de 20% da receita de RDOR3 e aproximadamente 20% dos custos operacionais de SULA.

Estamos cada vez mais positivos com as perspectivas para a tese de Rede D‚ÄôOr. Acreditamos que o fundo do po√ßo para o setor de sa√ļde j√° tenha passado e que a companhia est√° bem posicionada para colher os frutos da melhora setorial nos pr√≥ximos trimestres.

#7 | SERENA (SRNA3)

Serena apresenta um valuation atrativo e está bem posicionada no mercado, com cerca de 93% de sua energia vendida a preços mais altos em contratos de longo prazo. A empresa se destaca como uma das geradoras menos suscetíveis a mudanças nos preços de energia no longo prazo.

A atuação nos EUA, especialmente com a entrega do projeto Goodnight 1 no Texas, demonstra a capacidade da Serena em replicar seu sucesso no Brasil. A empresa tem mostrado economias de capex (despesas de capital), disciplina e parcerias com parceiros premium para os projetos.

A Serena está focada no aumento de consumo de eletricidade para empresas de tecnologia e centros de dados impulsionados pela inteligência artificial (AI). A nova onda de AI tem gerado alto consumo de energia para suprimento de necessidades computacionais, consolidando a estratégia da Serena para capitalizar nesse crescimento.

#8 | TOTVS (TOTS3)

A Totvs ocupa uma posi√ß√£o de lideran√ßa no mercado de software de gest√£o no Brasil, um mercado ainda com grande potencial de crescimento e penetra√ß√£o. A empresa se beneficia de uma forte rede de distribui√ß√£o e de um portf√≥lio diversificado e flex√≠vel, que inclui solu√ß√Ķes de software, servi√ßos de tecnologia, marketing digital e servi√ßos financeiros. A aquisi√ß√£o da RD Station abre novas frentes de crescimento, enquanto a natureza recorrente das suas receitas, associada √† capacidade de aumentar pre√ßos, oferece uma base s√≥lida para a sustentabilidade dos lucros.

A Totvs tamb√©m possui um balan√ßo patrimonial robusto, o que facilita a realiza√ß√£o de novas aquisi√ß√Ķes, apoiando sua estrat√©gia de crescimento e diversifica√ß√£o. Contudo, investir em TOTS3 implica em considerar os riscos inerentes:

  • A concorr√™ncia de grandes players internacionais √© um desafio constante, com empresas globais oferecendo solu√ß√Ķes competitivas que podem impactar a participa√ß√£o de mercado da Totvs.
  • A obsolesc√™ncia de software √© um risco para qualquer empresa de tecnologia, exigindo investimentos cont√≠nuos em inova√ß√£o e atualiza√ß√£o de produtos.
  • Os riscos de execu√ß√£o relacionados √† estrat√©gia de fus√Ķes e aquisi√ß√Ķes (M&A) podem afetar o sucesso dessas opera√ß√Ķes, impactando a integra√ß√£o das empresas adquiridas e a realiza√ß√£o dos benef√≠cios esperados.
  • A depend√™ncia macroecon√īmica √© um fator cr√≠tico, especialmente em um pa√≠s como o Brasil, onde flutua√ß√Ķes econ√īmicas podem afetar diretamente o investimento das empresas em solu√ß√Ķes de TI.

#9 | VALE (VALE3)

A Vale se destaca no cen√°rio global de minera√ß√£o devido √†s suas significativas vantagens competitivas, particularmente pela qualidade excepcional de seu min√©rio de ferro. Com teores que ultrapassam 65% de ferro, provenientes da Serra dos Caraj√°s, a empresa n√£o apenas assegura uma demanda robusta, mas tamb√©m uma prefer√™ncia no mercado internacional. Al√©m disso, a Vale beneficia-se de um sistema log√≠stico integrado que otimiza a cadeia de distribui√ß√£o e compensa os custos de frete, especialmente importante considerando que a China √© o principal destino de suas exporta√ß√Ķes.

A capacidade de produção da Vale está em curso de recuperação gradual, seguindo os incidentes de Mariana e Brumadinho, prometendo um aumento na oferta e potencial de crescimento. Importante também destacar a posição financeira da empresa: a Vale é conhecida por ser uma generosa distribuidora de dividendos e por manter um nível de endividamento baixo, o que reforça sua robustez financeira e capacidade de gerar retornos atraentes para os acionistas, mantendo-a como uma escolha sólida para investidores em busca de estabilidade e rentabilidade no setor de mineração.

#10 | VAMOS (VAMO3)

Controlada pela holding SIMPAR, o Grupo Vamos destaca-se como l√≠der no mercado brasileiro de loca√ß√£o de m√°quinas e equipamentos, com mais de duas d√©cadas de atua√ß√£o sob a √©gide da JSL S.A. O grupo gerencia um portf√≥lio impressionante com mais de 15 mil ativos alugados e mant√©m uma extensa rede de 43 lojas espalhadas por 9 estados. Esta rede inclui 15 concession√°rias de caminh√Ķes e √īnibus Volkswagen/Man, 16 concession√°rias de m√°quinas e equipamentos agr√≠colas Valtra, al√©m de 3 lojas de empilhadeiras Toyota, 3 lojas Komatsu e 6 lojas Fendt; complementada por uma rede de mais de 2600 oficinas credenciadas respons√°veis pela manuten√ß√£o dos ativos alugados.

O Grupo Vamos atua em três segmentos principais: Vamos Locação, dedicado à locação de veículos e equipamentos; Vamos Concessionárias, que oferece uma linha completa de veículos e maquinário através de suas concessionárias; e Vamos Seminovos, focado na venda de veículos e equipamentos usados.

A nossa recomenda√ß√£o de compra para as a√ß√Ķes do Vamos (VAMO3) se fundamenta na cren√ßa de que a empresa opera em um “oceano azul”, caracterizado por uma competi√ß√£o limitada e um vasto potencial de mercado √† frente. A Vamos destaca-se por sua escala operacional superior, que n√£o s√≥ fortalece sua posi√ß√£o competitiva como tamb√©m eleva as barreiras de entrada para novos competidores no setor. A determina√ß√£o do pre√ßo-alvo para as a√ß√Ķes foi realizada por meio de uma an√°lise de fluxo de caixa descontado (DCF) com horizonte de 10 anos, refletindo nossa confian√ßa no crescimento sustentado e na expans√£o cont√≠nua da vantagem competitiva do Grupo Vamos.

#11 | Wiz Solu√ß√Ķes e Corretagem de Seguros (WIZC3)

A Wiz passou por uma transforma√ß√£o significativa em sua estrat√©gia de neg√≥cios para se adaptar √†s mudan√ßas do mercado. Tradicionalmente conhecida por sua rentabilidade e distribui√ß√£o de dividendos, a empresa precisou diversificar suas opera√ß√Ķes. Atualmente, a Wiz est√° envolvida em parcerias com diversas institui√ß√Ķes financeiras, incluindo Banco Inter, BMG e BRB, e expandiu sua atua√ß√£o para o setor de concession√°rias de autom√≥veis.

Este movimento estrat√©gico incluiu a realiza√ß√£o de v√°rias aquisi√ß√Ķes e o estabelecimento de contratos de exclusividade, demandando investimentos substanciais. Esses investimentos tiveram um impacto direto nos resultados financeiros de curto prazo da empresa, refletidos na redu√ß√£o do dividendo distribu√≠do aos acionistas.

Apesar desses desafios iniciais, a visão de longo prazo para a Wiz é otimista. A expectativa é que o novo modelo de negócios se estabilize como um sólido gerador de caixa, o que deverá permitir a retomada dos pagamentos de dividendos aos acionistas no futuro, reforçando o compromisso da empresa com a geração de valor sustentável.

Acesse o disclaimer.

Leitura Din√Ęmica